Decorated Grey Christmas Tree

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Only The Stones Survive

Uma tribo celta da P. Ibérica, os Mílesians, decide aventurar-se até às terras de Iern (irlanda), onde vive o povo milenar dos Tuathá Dé Danan. A sede de conquista dos celtas é selvática, acham que têm direito às terras, e para isso matam e esquartejam os Danan. Estes são um povo pacífico, não têm armas de ferro,  mas têm a 'magia' da mãe natureza. 

Uma história maravilhosa  sobre as primeiras colonizações da Irlanda, a escrita é excelente e cativante. Aparentemente tem um ritmo lento, mas o conteúdo assim o obriga. Faz lembrar uma história de Marillier, dos tempos de Sevenwaters, plenas de sentimentos e magia. A autora conta uma história fantástica, mas que para todos os efeitos, poderia ter acontecido assim, tal como ela o descreve. Uma história de conquista, de morte e de vida , mas também de amor e harmonia. 4 estrelas

domingo, 24 de janeiro de 2016

As Horas Invisíveis


Holly Sykes tem 15 anos, discutiu com a mãe, e por isso decide ir morar de vez com o seu namorado Vinnie, 10 anos mais velho que ela. Quando lá chega, Vinnie está na cama com a sua melhor amiga Stella, Holly sai porta fora, humilhada, e decide ir trabalhar, não quer dar à mãe o 'gosto' da vitória. No caminho para nenhures, os seus 'ataques' de infância voltam, Holly ouve vozes, e vê o que não pode ser real. Segue caminho e encontra um colega da escola, Ed Brubeck, que a ajuda e lhe dá algum dinheiro, mas mais uma vez, Holly tem visões bizarras, e enquanto o rapaz dorme ela foge. Arranja trabalho numa quinta, na apanha do morango, corre tudo bem, mas daí a alguns dias, Ed aparece e dá-lhe uma má notícia, Jacko, o irmão de 8 anos de Holly, despareceu. Este é o 1º relato do livro , seguem-se outros centros de ação, que aparentemente não estão relacionadas, mas evidentemente que estão. A ação decorre entre 1986 até 2048, alguns dos personagens nunca morrem, são imortais.


Uma excelente, senão magnífica leitura  sobrenatural. O autor escolheu Holly Sykes como protagonista, mas a verdadeira história é a de outros personagens que se mantêm imortais, personagens  que de início não se dão a conhecer. A trama é fabulosa e muitíssimo complexa (tirem apontamentos de quem é quem), a escrita é magnífica mas viciante, o humor é constante. A escrita não é linear, tem vários narradores, entre eles , alguns dos imortais ( vamos chamar-lhes assim). É fabuloso ver o percurso de vida dos mortais e imortais , como as suas vidas, que de início nada têm em comum, se vão cruzar, e inter-ligar, como alguns fazem pactos de vida e outros fazem pactos de morte (estou a simplificar para tentarem entender alguma coisa). O mundo criado por Mitchell é , no mínimo, Espetacularmente fabuloso, mundo esse que é o nosso. 5 estrelas é pouco, eu daria 10.



sábado, 23 de janeiro de 2016

Prince of Thorns


Fantasia pós apocalíptica, (sim , sim, parece épica mas não é ) relata a história de Jorg, um rapaz que viu a mãe e o irmão serem brutalizados e executados à sua frente. Ele foi atirado para cima de uns arbustos, com espinhos venenosos e deixado lá ..a morrer. Mas Jorg não morreu, foi salvo pelos soldados de seu pai, o rei Olidan. Jorg sobreviveu, quase por milagre, e jurou vingança. O rei seu pai, nada fez quanto à execução do seu irmão mais novo e sua mãe, Jorg tornou-se nesse, dia inimigo mortal do facínora do seu pai, tinha 10 anos. Pegou na trouxa, abriu as celas de alguns mercenários que seu pai tinha aprisionado, e saiu castelo ( ruínas de antigos arranha céus) fora. Jorg tornou-se num assassino, violador, mercenário... um monstro. 

Aqui está uma excelente leitura, com um cenário medieval, que não é mais nem menos, do que as ruínas da nossa civilização. As referências a Cristo, são constantes, assim como escritores , filósofos e mitologia  do mundo antigo. A escrita é magnífica e brutal, porém não achei que  a evolução do personagem principal fosse grande. A história tem cenas macabras e diferenciadas. A trama evolui muito bem, (um pouco lenta), mas Jorg atingiu o que pretendia. Detestei o Jorg, e pergunto a mim mesma, como é que um catraio de 10 anos consegue pensar e agir assim. O livro é contado por Jorg na 1ª pessoa, dos 10 aos 15 anos. 4 estrelas, e claro que vou ler os restantes.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Sonhos de Deuses e Monstros


Karou e Akiva estão de novo unidos, querem travar a guerra iminente entre quimeras e serafins, mas Jael o comadante dos alados tem um novo aliado, os humanos.

Jael conduz o seu exército de anjos assassinos até ao Vaticano, o mundo fica dos avesso: oh, afinal os anjos existem :(

Porém, surge outra ameaça, de que ninguém suspeita, os Stelianos, anjos também, mas com mais força e mais poder que os serafins, Akiva é um deles sem saber. Por outro lado surge Eliza, uma repórter que não é repórter, será quimera , anjo Steliano ou serafim???

Não me vou alongar mais na sinopse, pois o livro está cheio de pontas soltas. Não gostei da escrita, como já tinha afirmado antes, e a história mais uma vez não foi bem desenvolvida. Depois de Akiva ter assassinado todos os amigos de Karou, esta aceitou-o logo de volta, sem demoras nem perguntas. Os mundos (agora 4) não resultaram bem, na categoria de fantasia urbana, esta 'junção' não deu um bom resultado, não encaixa, digamos. Anjos, quimeras, humanos, telemóveis , e-mails...não gostei. Quimeras e anjos unidos contra o exército de Jael, e ninguém pergunta porquê. O livro está cheio destas 'pequenas falhas', que tornaram uma ideia (que podia ter sido épica) numa caca romântica e lamechas com uma escrita de 2º categoria. 2.5 estrelas pela ideia


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

A Quimera de Praga


Na cidade de Praga, a jovem Karou inicia uma vida de teenager, tem cabelo azul e olhos negros. É artista e tem um grande talento para o desenho. A sua vida porém é estranha, desaparece por vezes, e quando aparece vem com ferimentos vários. Nessa mesma cidade existe um portal que leva Karou para o mundo das quimeras, onde os seus 'familiares' a esperam, para fazer uns certos recados, a recolha de dentes, tanto de humanos como de animais. Ah, mas os serafins (anjos), declaram guerra às quimeras, e o mundo está à beira duma guerra nunca antes vista.


Aqui está um livro com uma premissa interessante, mas que a autora não conseguiu desenvolver. A escrita não é das melhores, é simples e fútil. Karou aka, Madrigal, é quimera, mas a autora apresenta-a como uma teenager histérica e pateta, tal como os seus amigos humanos Zusana e Mik. A estrutura não resultou, pois a autora segue  o percurso do personagem, e depois volta atrás para explicar como o tal personagem chegou até ali, não o fez bem, e o resultado foi uma grande confusão. Depois temos o cerne da questão...Karou e Akiva o par lamechas da história, que não convence ninguém. No meio da batalha, em plena guerra e depois de ter perdido os seus amigos quimeras, Karou só vê Akiva ( seu inimigo) e os seus olhos de fogo. Fez-me lembrar o Twilight, mas pior, muito pior. Enfim uma história de caca, que podia ter sido muito bem conduzida. Não gostei Nada. 2.5 estrelas por causa da ideia.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

The Sin Eater's Daughter

Twilla tinha apenas 10 anos quando foi ao palácio pela 1º vez, a mãe é a Sin Eater, a Comedora de Pecados, ela será portanto a sua sucessora, mas os reis reparam nela, Twilla canta como um anjo e tem o cabelo da côr do fogo. Fazem-lhe um teste e descobrem que Twilla é a deusa Daunen personificada, um toque dela, e qualquer pessoa morre às suas mãos, envenenada.Todos à exceção dos Reis e do príncipe Marek (óbvio).Twilla é obrigada a matar o seu amigo de infância Tyrek, um rapazinho alegre e bondoso, acusado de traição. 
Nenhum dos guardas da raínha (maldita) quer ter a guarda da jovem Twilla, a executora, pois têm medo do toque dela. Dorin é o seu guarda atribuído, mas Dorin é idoso e adoeceu subitamente. Mas logo aparece outro guarda, Leaf que se dedica de corpo e alma a Twilla.É ele que lhe faz ver certas verdades, neste reino nada é o que aparenta, é tudo uma mentira, uma aberração da maldita raínha Hellyws. Merek, é filho da raínha e ao mesmo tempo seu sobrinho, pois Hellyws casou com o irmão, para manter  o 'puro sangue'. Merek também iria casar com a  própria irmã, tivesse ela sobrevivido, mas a princesa morreu na infância, tal como o seu pai ( e tio). Após a morte do rei, a raínha casou com o primo, um homem bondoso que é um verdadeiro pai para Merek.Mas o rei desautorizou a raínha,  adoeceu e morreu subitamente.

Todos estes acontecimentes (e outros), fazem a jovem pensar...ela uma deusa?? Uma assassina?? Leaf, começa a levantar o véu ( assim como lhe levanta outras coisas :) e ..oh meu deus...será que o toque dela mata mesmo???

Uma magnífica leitura, com uma escrita maravilhosa e muito bem estruturada. O tema é um pouco bizarro, mas fantástico. A trama, a intriga e o suspense, fazem o leitor não querer parar de ler, a escrita embala o leitor, a escrita desliza tal qual uma patinadora desliza no gelo. A autora tem que tecer a trama e construir a personagem Twilla ao pormenor,( alguns leitores podem achar monótono e lamechas, mas garanto-vos que não é, é um meio para atingir um fim) para depois dar os twists finais, com um toque macabro e hediondo. Uma história de intriga , religião e incesto. 5 estrelas, adorei.
 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Mar Infinito

A população da terra está reduzida a 99.9%, quase não há sobreviventes. Vem aí a 5ª vaga, a que porá fim aos poucos resistentes. Cassie, Sammy, Ringer, Ben, Evan, Teacup, Dumbo e Poundcake, estão nas ruínas de um hotel. Ringer resolve sair e ir explorar a floresta, nunca mais volta....os jovens ouvem o barulho de um helicóptero e pensam que será o seu fim....


A sinopse não é grande coisa, mas eu não posso dizer mais. Se a 5ª Vaga foi excelente, este foi magnífico. Os twists são a cada página virada, tudo aquilo é, e não é. O leitor está completamente no escuro, assim por dizer. Está cheio de ação,  cenas macabras e horríveis, se isto é YA, não parece nada. O autor não tem uma escrita linear, o que a torna difícil e espetacular, pois o leitor vai sabendo aos poucos, quem são e como foram as vidas dos resistentes. Há portanto duas linhas de tempo, o presente que alterna com o passado, que ainda alterna com as diferentes narrativas na 1º pessoa dos resistentes. Há lá uma parte em que um(a) dos resistentes salta do helicóptero a 1Km de altura e cai de pé no gelo.....foi épicoooo, opah leiam. 5 estrelas

Illuminae

Uma aventura no espaço no ano 2575. A ação tem lugar numa colónia mineira ilegal, e por razões desconhecidas, alguém resolve atacar e matar quase todos os habitantes dessa colónia. Os sobreviventes fugiram para as naves transportadoras, Alexander e Hipatia, onde Kady e Ezra, mantêm uma correspondência por emails. Estes dois tinham acabado o namoro, no preciso momento em que foram atacados.

O livro está escrito sob a forma de emails e ficheiros. Não vou dizer epistolar, acho que não assenta bem. Ora, passemos à escrita, a escrita é a troca de e-mails entre 2 adolescentes, portanto se vou classificar a escrita teria de dar 1 estrela, tanta asneira e obscenidade são desnecessárias, não gostei, não achei graça. O livro é difícil de ler, pois eu não sei o significado das inúmeras siglas que por lá aparecem, e não há glossário. As frases estão por vezes  riscadas ou tapadas, as letras são por vezes minúsculas, quase não se conseguem ler, enfim passamos metade do tempo a tentar ler o que não entendemos. A história em si, só me fez lembrar o Alien, é muito, muito parecida. O livro é bonito, bem apresentado mas o conteúdo, escrito em forma de mails não me cativou. 2.6 estrelas

Vendetta

Sophie Gracewell vive uma vida pacata nos arredores de Chicago, o pai está preso, a mãe tem 2 empregos e ela trabalha num restaurante, para assim ajudar nas despesas. Mas oh fortuna, a casa  senhorial abandonada do bairro, vai ter novos moradores, 5 rapazes italianos, os Falcone, 5 mafiosos. mas quis o destino que Sophie se perdesse de amores por Nic, mas as coisas correm mal.

Uma leitura agradável, (apesar das gralhas constantes) dirigida a adolescentes.A história é interessante, a autora mantém um bom ritmo, mas faltou um pouco o tal elemento 'X' , aquilo que nos faz virar as páginas, para saber o que vem a seguir. Sophie, era um pouco 'apagada' digamos, uma tontinha , pois mesmo depois de saber que os vizinhos eram uma família de mafiosos e assassinos, o seu comportamento pouco ou nada muda. Uma boa história para jovens de 13/14 anos. 3 estrelas